22.7.08

Notícias da gata


A gata Nini continua internada, a soro. Parece-me a mim que o veterinário viu em nós algum sinal exterior de riqueza (que não existe) e está a esticar a corda, que os tempos hão-de ir maus até para os veterinários (se calhar não). De maneira que hoje seja o veterinário a favor ou contra, gatinha vens para casa, havemos de arranjar onde pendurar o frasco do soro.
Para já as horas que passo na sala de espera da clínica dos animais fazem-me urticária, e não é alergia aos animais que por lá andam, é mesmo aos donos deles. Aquela transferência de afectos faz-me confusão. Depois começo a pensar, caramba o M. precisa de ir ao pediatra, e os meus óculos estão umas verdadeiras cangalhas, e mais me enervo. Fico também a saber que mesmo entre os animais de estimação há alguns mais iguais do que os outros, a minha vizinha de cadeira contou-me que o luluzinho dela foi atacado por uns cães vadios e que esteve ali internado entre a vida e a morte e que, na mesma noite, os mesmos cães atacaram também uma cadela que vivia ao lado “mas como os donos não tinham posses, morreu, coitadinha”. De outro tipo era a dona de um gato que estaria ali por motivo de constipação - o gato, não a dona - e que para além daquele, constipadíssimo, coitadinho, tinha mais dezassete gatos em casa e ainda três cães. E um pote de oiro no fundo do quintal, imagino eu.
Até à tentativa de suicídio desta gata pensava eu, ingenuamente, que os animais precisavam de comidinha, água e, vá lá, vacinas. Percebo agora que podem arruinar os donos (tansos). Outra dona conta-me que o gato quase lhe levou o subsídio de férias e que só pode comer um tipo de comida “muito especial” porque faz infecções urinárias sucessivas. É tudo doido ou já nem os animais de estimação são como os de antigamente?

4 comments:

greatcraftdisaster.com said...

uma das minhas vizinhas dos meus tempos lisboetas, gastou dois mil e quinhentos contos numa clinica espanhola para substituir a anca do seu canito... as portuguesas não lhe inspiravam confiança.
ha gente muito só por aí...
a verdade é que quando se ganha afecto a um bicho é dificil optar por não lhe dar a assistência devida. mas por vezes cai-se em extremos. e quando a crianças no agregado...
parece-me também que os veterinários portugueses estao a ficar uns vivaços e com muito sentido de negocio! um dia fomos perguntar assim so de passagem se ainda poderiamos dar um certo medicamento ao cao e saímos do balcão com uma conta de €40. todo o processo demorou cerca de 3,5minutos...

greatcraftdisaster.com said...

venho entrear um h para colocar no "a crianças /há crianças" do texto acima...
ups! deditos gordos em teclado pequeno...

Isabel said...

pois eu nem quero pensar na conta que me vão apresentar logo, mas é como dizes, a., não conseguiria deixar de lhe dar assistência, mas tudo tem limites.

Quanto ao agá, passo essa vergonha a toda a hora.

bj

Isabel said...

se não tivermos dinheiro para as férias não ha-de ser por causa da Nini, aliás devo um reparo à clínica, depois de uma conta grandota mas compreensível, tanto de rx, tanto da consulta de urgencia, tanto dos tratamentos, a gata nini tem ido todos os dias à clínica levar uma injecção e fazer uma avaliação completa e só pagamos a injecção. gatos são gatos e gente é gente mas nada que se compare com uma consulta de oftalmologia de 10 min em que se paga 80 euros.