24.3.06

Um Milagre

Era Agosto, sábado, um dia muito quente, e estávamos em férias na serra: avós, filhos e netos. Pela hora de almoço recebemos um telefonema do meu irmão, o único que não nos tinha podido acompanhar “Puseram-nos um bebé à porta de casa! está num caixotinho, com umas fraldas e um biberão”. Alguma confusão (nunca ninguém está preparado para uma notícia destas), instruções para trás e para a frente “deve ter para aí dois meses”, “ferve água e dá-lhe às colherinhas”. Etc etc etc.
O bebé foi para o hospital para ser avaliado, tirando uma ligeira desidratação estava óptimo e os médicos calcularam que deveria ter uns quinze dias. Foi-lhe dado um nome e a seu tempo foi registado, seguiu-se o inquérito policial que não lhe encontrou os pais.
Entretanto o bebé crescia em graça e em segurança numa instituição em que os bebés são realmente amados. E final feliz, o processo de adopção correu rápido e o menino já passou o Natal com os que são agora os seus pais.
Hoje recebi uma carta da directora da instituição que o acolheu : “hoje o menino veio visitar-nos, está grande e muito muito bem tratado, como já era antes é muito tranquilo e observador, um amor de bebé, este menino é um milagre!”.


1 comment:

Luis said...

Uma história feliz.Tão precisas.