3.5.10

Domingo em Coimbra, a grande arte



Futebol, festa.

Livros, orgia de

Há muito que não passava assim um domingo, ler como se não houvesse amanhã:”A Grande Arte” de Rubem Fonseca. Um livro amoral: a elite e o bas fond que é elite que é bas fond, A que mata B que mata C que podia ter morto A, quatro namoradas, muitos bandidos, um escroque milionário que não sabe nadar, algumas prostitutas e mandrake (ele próprio um bandido?). A ler, especialmente quando a vida nos é monótona.

4 comments:

Anonymous said...

Isto é um comentário pessoal com duas alígneas nas quais a segunda anula a primeira:
a) Interessante...
b) Sem comentários...

fernando f said...

Libra, que esta semana os F's quase se cumpriam, faltou o do fado, ou nem por isso, pois o da política não deixou de nos presentear com um pacote, empacotado no encaputado bloco central. Até parece que desta vez resolvem o problema daqueles que já deixavam a pensão na farmácia, pois ao deixarem de lá ir, também deixam de lhe pagar a pensão. Por ler; ando de volta de um calhamaço de mil e quarenta páginas, 2666 de Roberto Bolãno, que depois de grande incursão pela europa, chegou ao México onde deu em matar mulheres de toda a maneira e feitio, creio que num remoque à ditadura chilena, país de onde é oriundo. Grande livro, grande escritor apesar da morte prematura, 50 anos.

Joel de Sousa Carvalho said...

Divulgue PF

http://espacosdeconvivio.blogspot.com/

Assim irei eu começar nesta caminhada pelos sitios mais agradáveis (ou não) que com o tempo vou visitando. este blog é isso mesmo, um espaço de convivio e quase que uma montra de espaços aconselhados para uns finais de manhã, tarde e noite.

Obrigados

isabel said...

Obrigada Fernando e Joel, andei arredada daqui, volto agora.