14.1.09

O Cardeal Patriarca de visita ao Casino


Pois o Cardeal Patriarca no casino não me parece nada de condenável, nem que estivesse nas slotes. E se calhar concordo com ele, se filha minha quisesse casar com um muçulmano eu dir-lhe-ia o mesmo, pensa bem. Porque a diferença cultural na maioria dos casos é abissal, porque as mulheres não são tratadas da melhor forma, e estou a ser eufemística, nas sociedades muçulmanas. Mas há muçulmanos e muçulmanos e há pessoas e pessoas, e se eu, uma “maria-ninguém” poderia aconselhar a minha filha, ou gritá-lo a alta voz, se calhar o Cardeal, por muito que pragmaticamente o pense, deveria silenciar tais opiniões. A bem da tolerância e do ecumenismo e porque há guerras, que, mais uma vez pragmaticamente, mais vale não comprar.


Lendo agora mais sobre o assunto fica-me a ideia de que o Cardeal tinha deixado a diplomacia em casa e que a história do casamento nem terá sido o que de mais grave ou polémico proferiu.

2 comments:

greatcraftdisaster.com said...

como sempre, há quem louve:
http://bandeiranegra1.wordpress.com/2009/01/14/o-que-mudou-para-finalmente-haver-mais-alguem-a-analisar-de-forma-clara-a-comunidade-islamica-portuguesa/

Isabel said...

que mundo!